RDP Açores Antena 1

RDP Açores Antena 1, Radio RDP Açores Antena 1 ouvir rádios online grátis RDP Açores Antena 1 Portuga

É bom ter fotografias. É como se as pessoas estivessem presentes. Tem fotos do seu Pierre? Sim, de quando era menino quando a granja ainda era verde, antes das fábricas. Bons tempos aqueles. Meu Pierre sempre foi pequeno para sua idade, até os anos. Foi quando cresceu como coqueiro. Me faria bem ao coração ver fotos do Pierre dessa época. Seria como voltar no tempo quando era jovem com meu amigo. Espere. Eu não gosto. Demoram muito lá. É melhor ver o que acontece. Me esconderei perto do moinho, te vejo lá. Esta noite às :h. Verá como cresceu rapidamente num verão: cm. Olha. Naquela época, as roupas eram folgadas como um espantalho. Tem fotos atuais dele? Sim, tenho as fotos que me enviou. Mamãe! Larga isso! São boas fotos do seu irmão. Não entendo. Calma, mamãe. Tinham que descobrir. Quem está fingindo ser seu irmão? Nos obrigou hospedá-lo ameaçando matar todos nós. Onde ele está agora? Com meu pai, nos campos. Forçou meu pai acompanhá-lo. Peguei ele na porta, tentava fugir. Então tentou fugir. Por quê? Papai, já descobriram o homem. Você contou, Odette? Eles já tinham descoberto. Onde está o inglês? Não sei. Diga, papai. Não tem porque escondê-lo. O que farão, marido? Não entendo. Serão fuzilados, a menos que o seu marido nos diga onde está o inglês. Não está em minhas mãos dizer onde está o inglês. Leve-o para a prisão. Vamos ver se não está em suas mãos. Disse a eles? Papai, por uma vez na vida, tem que me ouvir. Para que dar sua vida por nada? Se quiser lutar no campo de batalha, isso é outra coisa. Mas não podemos fazer isso. Não pode sacrificar a família inteira por um inglês. Diga-lhes onde está, e nos deixarão livres, papai. Então nós lutaremos. Viveremos para lutar quando chegar a hora. A hora já chegou e quase passou, Odette. Estávamos tão perto de atingir o nosso objetivo. A última chance para um idoso fazer algo pelo seu país. E você, Odette, se recusou ajudar. Algum dia, talvez em breve aprenderá, Odette e a lição será muito dura e muito amarga. Com estes homens, se render significa apenas uma morte mais lenta. Os nazistas não têm misericórdia com os vencidos e com eles, não tem acordo. Por favor, entre, Fräulein Bonnard. O unteroffizier Block me disse que cooperou muito para delatar o inglês. Porque não? Precisamente. Sua atitude é muito sábia. Precisamos saber onde está o inglês. Eu não sei. O seu pai sabe. Ele se recusa dizer. Talvez possamos ser indulgentes com seu pai e sua mãe se nos ajudar encontrá-lo. Verdade? Naturalmente, Fräulein. Somos tão generosos com os amigos quanto implacávis com os inimigos. Conheço um homem que falaria quando ninguém o estivesse ouvindo. Teria que ficar a sós com ele. Tem uma hora. Se não voltar em uma hora seus pais morrerão. As preparações foram feitas. Sim eu voltarei. Dupliquem a busca e prendam os que falaram com o inglês. É melhor eu ir trabalhar. Boa noite, mamãe. Boa noite, Jacques. Jacques Grandet? Eu sou Jacques Grandet. Prendam-no! É este o seu filho? É claro que é meu filho. É o meu terceiro filho. Tragam-a também. Por que nos prendem? Sabotagem! Vai! Aonde vai, tio Maurice? O que faz aqui? Te prenderam. Onde está o inglês? Que inglês? Não me envolverá nisso. Diga-me ou te entrego aos alemães. Não poderia. A vida da minha família depende dele. Certo. Vou dizer tudo o que sei. Só sei que irá ao moinho Grelieu às :h. Pode dizer isso. Se não for verdade, tambem morrerá, está claro? É verdade. Juro que é verdade. Se precisar de mim, estarei sentado na calçada do café para que todos vejam que Maurice Bonnard não teve nada a ver. Chegou a hora, senhores. É pontual, Fräulein. Parece gostar muito dos seus pais. O que me diz do inglês? Estará no moinho Grelieu, às :h. Só isso? É tudo que precisa, não? Isso bastará. :h, no moinho Grelieu. O capturamos vivo e traremos para cá. Amanhã o enforcaremos em plena praça central e o deixaremos lá, como lembrança. Posso ver os meus pais? Sim, claro. A levaremos com os seus pais imediatamente. Outra execução? Não pergunte. Toque. Mamãe, os sinos. Você acha? Passei pelo cemitério a caminho de roubar o querosene. Estavam cavando covas novas.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *