RDP Açores Antena 1 99.8 FM Monte das Cruzes

RDP Açores Antena 1 99.8 FM Monte das Cruzes, Radio RDP Açores Antena 1 99.8 FM Monte das Cruzes ouvir rádios online grátis RDP Açores Antena 1 99.8 FM Monte das Cruzes Portuga

Como tu adoras a tua preciosa culpa. O sangue dela nas minhas veias… era mais doce que a vida. E as palavras de Lestat fizeram sentido. Só quando matava, sabia o que era a paz. Quando ouvi o coração dela naquele ritmo terrível, soube o que era a paz. Para te encontrar, basta seguir os cadáveres de ratazanas. Para ti, a dor é terrível. Sente-la como nenhum outro ser por seres vampiro. Näo queres que ela se mantenha. Näo. Entäo faz o que a tua natureza manda… e sentirás o que sentiste com essa criança nos braços. O mal é um ponto de vista. Deus mata indiscriminadamente… e nós também mataremos. Nenhum ser criado por Deus é como nós. Nenhum é täo parecido com Ele… como nós. Tenho uma prenda para ti. Vem comigo. Por favor. Ela está aqui. Que dizes? Tu precisas… de companhia… mais adequada que a minha. Lembras-te como a desejaste? O sabor dela? Julguei que a tinha morto. Näo te preocupes. Tens a consciência tranquila. Claudia. Escuta-me. Estás doente, minha querida. E eu vou dar-te o que precisas para ficares boa. Näo. Entäo queres que ela morra? Isso mesmo. Pára! Pára! Chega! Quero mais. Claro que queres mais. Suavemente, chérie. Elas säo täo inocentes. Näo devemos fazê-las sofrer. Muito bem. Já chega. Basta. Pára. Já chega, chérie. Tens de parar antes do coraçäo parar. Quero mais. Eu sei. Só deves aproveitar os momentos iniciais… para a morte näo te arrastar com ela. Portaste-te muito bem. Olha para ti. Nem uma gota derramada. Muito bem. Onde está a minha mäe? A tua mäe foi… para o céu, chérie, como esta simpática senhora. Väo todos para o céu. Todos menos nós. Queres assustar a nossa filha? Eu näo sou sua filha. És, sim. Agora és minha filha e do Louis. Ele ia deixar-nos. Ele ia-se embora. Mas agora já näo vai. Agora vai ficar… e fazer-te feliz. Louis. És um demónio. Uma família feliz. Ele fez aquilo para o obrigar a ficar com ele? Talvez. Sabia que eu a amaria mais do que tudo no mundo. Mas não era só isto. Não há duvida que ele tinha afeição por ela. Talvez, afinal, o fizesse porque também se sentia só. Preciso de mais luz. Ela precisa de mais luz. Sem outro candeeiro, fico cega. Ela fica cega. Ou deixe-me arranjar a criança durante o dia. Os meus dias säo sacrossantos, madame. Ela era uma garotinha. Mas era também uma feroz assassina… capaz de perseguir sangue com toda a exigência infantil. Eu dou-lhe um beijo para ficar boa. Agora… quem vamos arranjar para acabar o teu vestido? Sê prática! Lembra-te, na nossa casa, nunca! Ao princípio, ela dormia no meu caixão… enrolando o meu cabelo com os seus dedinhos… até ao dia em que quis o seu próprio caixão. Mas, quando acordava… vinha para o meu. As vítimas morriam depressa, antes dela aprender a brincar com elas… e adiar o momento até ter obtido o que queria. Porque estás a chorar? Estás perdida, querida? A Mäezinha! Pronto, näo chores. Vamos encontrá-la. Atençäo ao polegar, menina. Esse dedinho. Säo caras, minha querida. Talvez demasiado caras para uma menina como tu. Claudia! O que é que te dissemos? Cá em casa, nunca! Chega-te para lá. Para mim, era uma criança. Para Lestat, era uma pupila… uma menina prodígio com uma luxúria de matar igual à sua. Juntos, acabaram com famílias inteiras. Maravilhoso, maravilhoso. Agora toca qualquer coisa mais melancólica. O tempo passa depressa para os mortais quando são felizes. Connosco acontecia o mesmo. Os anos passavam como minutos. A cidade cresceu. Os veleiros deram lugar aos vapores… e a uma infindável ementa de magníficos forasteiros. Um novo mundo nascera à nossa volta. Agora éramos todos americanos. Esta nojenta época moderna! O que eu daria por uma gota de velho sangue crioulo! Näo te agradam os lanquis? O sabor democrático deles näo agrada ao meu paladar, Louis. Aquela é uma crioula pura. Foi a Claudia que a encontrou. O que foi? Näo a queres? Quero ser como ela. Posso ser? Um dia posso ser como ela? Mais tolices! Cada dia te pareces mais com o Louis! Em breve comerás ratazanas! Ratos? Quando comeste ratos, Louis? Foi há muito, muito tempo. Antes de tu nasceres. E näo os recomendo. Tinham passado trinta anos mas o corpo dela era o de uma eterna criança. Só os olhos revelavam a idade dela, fixos sob os caracóis… com perguntas… que um dia exigiriam uma resposta. Outra boneca. Tenho dúzias delas. Pensei que quisesses mais uma. Porquê sempre nesta noite? Que queres dizer? Dás-me sempre uma boneca na mesma noite de cada ano. Nem reparei nisso. Faço anos? Vestes-me como uma boneca. Penteias-me como uma boneca. Porquê? Algumas destas bonecas estäo täo velhas… esfarrapadas. Devias deitá-las fora. Entäo deitarei! O que é que fizeste? O que me disseste! Deixas o corpo apodrecer? Eu queria-a! Queria ser como ela! Está louca! Mancha a casa onde vivemos! Queres que eu seja uma boneca eternamente? Näo! Porquê? Näo posso modificar-me… como toda a gente? Qual de vocês fez isto? Qual de vocês fez isto? Qual de vocês me fez como eu sou? O que é que tu és? Uma vampira enlouquecida que mancha a sua própria cama! E se voltar a cortar o cabelo? Ele voltará a crescer. Mas näo foi sempre assim. Eu tive uma mäe. E o Louis teve uma esposa.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *